UFA: Após 600 dias , restrições em São Paulo chegam ao fim!

Compartilhe com os amigos:

Depois de quase 600 dias, chegam ao fim as restrições impostas pelo governo de São Paulo para conter a disseminação do coronavírus. A partir desta segunda-feira (1), os últimos eventos que estavam proibidos estão liberados: os shows com público em pé, as pistas de danças e a volta de 100% do públicos ao estádios de futebol, segundo as regras do Plano SP de flexibilização econômica.

Com isso, todos os estabelecimentos do estado podem funcionar sem restrição de público e horário. O uso de máscaras segue obrigatório (leia mais abaixo). Cabe a cada município definir se segue o governo do estado. A capital paulista seguiu a orientação e vai liberar todos os eventos a partir desta segunda.

A quarentena imposta pelo governo do estado começou no dia 24 de março de 2020. Naquela época, 30 pessoas haviam morrido vítimas da Covid-19. Durante os 587 dias que duraram o Plano São Paulo, o governo foi prorrogando e flexibilizando as regras.

A retomada desses eventos a partir de segunda acontece no momento em que o estado superou a marca de 70 milhões de doses aplicadas de vacinas contra Covid-19. Segundo o vacinômetro do governo paulista, pelo menos 87,63% da população adulta já tinha tomado a segunda dose das vacinas contra a doença até este domingo (31). No sábado (30), o estado registrou menos da metade do total de hospitalizados com Covid-19 há um ano atrás. Hoje, são 3.400 pessoas internadas, somando 1.609 em UTI e 1.791 em enfermaria.

A autorização para a volta desses eventos é a última etapa para a volta de 100% das atividades culturais no estado, que começaram a retoma gradual em 17 de agosto, com a volta de eventos sociais, museus e feiras corporativas.

Governo de SP anuncia volta de torcida a estádios a partir de 1 de novembro  — Foto: Reprodução/GESP

De acordo com o governo paulista, a retomada só está autorizada mediando o cumprimento dos seguintes protocolos sanitários para o funcionamento de eventos com público:

  • Uso obrigatório de máscara em qualquer ambiente;
  • Respeito aos protocolos de higiene;
  • 100% da população adulta com acesso à 1ª dose da vacina.

 

Na capital paulista, desde 1º de setembro a Prefeitura da Cidade de São Paulo instituiu o chamado “passaporte da vacina” para eventos com mais de 500 pessoas.

O “passaporte da vacina” poderá ser apresentado por aplicativo de celular, chamado E-saúde, ou em formato físico (saiba como baixar a versão digital mais ao fim da reportagem).

Vista aérea do Estádio do Morumbi antes da partida entre São Paulo e Corinthians, válida pelas semifinais do Campeonato Paulista 2017 — Foto: LUIS MOURA/WPP/ESTADÃO CONTEÚDO

Vista aérea do Estádio do Morumbi antes da partida entre São Paulo e Corinthians, válida pelas semifinais do Campeonato Paulista 2017 — Foto: LUIS MOURA/WPP/ESTADÃO CONTEÚDO

100% do público nos estádios

 

Em 4 de outubro, os estádios voltaram a ter 30% do público para assistir a partidas de futebol . Em 15 de outubro, 50% do público já estava permitido nas arenas e, agora, em 1º de novembro, 100%.

No caso dos estádios de futebol, as regras para frequentar os estádios são as seguintes:

  • Estar com o cartão de vacinação contra a Covid-19 (físico ou pelo aplicativo ConecteSUS);
  • Ter tomado as duas doses ou a dose única das vacinas;
  • Uso de máscara obrigatório;
  • Para torcedores que tiverem recebido apenas a primeira dose dos imunizantes: apresentar um teste de antígeno feito, no máximo, 24h antes da partida ou um teste PCR feito, no máximo, 48h antes da partida.

 

Corinthians x Chapecoense

 

O primeiro grande evento esportivo com as novas regras na cidade de São Paulo será a partida entre Corinthians e Chapecoense, pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro, nesta segunda-feira.

De acordo com o clube paulista, até o sábado (30) já tinham sido vendidos mais de 34 mil ingressos para o jogo que vai acontecer na NeoQuímica Arena, a partir de 21h30.

Prefeito de São Paulo Ricardo Nunes (MDB) mostra aplicativo de 'passaporte da vacina', que ainda não tem data para ser lançado. ser lançado  — Foto: Reprodução/Youtube

Prefeito de São Paulo Ricardo Nunes (MDB) mostra aplicativo de ‘passaporte da vacina’, que ainda não tem data para ser lançado. ser lançado — Foto: Reprodução/Youtube

Como baixar o ‘passaporte da vacina’

 

De acordo com a Prefeitura de São Paulo, os participantes dos eventos poderão baixar o QR Code do “passaporte da vacina” no aplicativo E-saúde, da Secretaria Municipal da Saúde.

É necessário fazer um cadastro com dados do Cadastro de Pessoas Físicas (CPF), data de nascimento, nome completo, e-mail e telefone.

Caso não tenha acesso ao aplicativo, também é possível apresentar o comprovante físico que é entregue no momento da imunização.

A Secretaria Estadual da Saúde também oferece o comprovante de vacinação em formato digital por meio do aplicativo do Poupatempo Digital.

Nota da Secretaria da Saúde

 

“A Secretaria de Estado da Saúde informa que os índices da pandemia em SP seguem em queda, fruto das quase 72 milhões de doses de vacina aplicadas. 100% da população adulta já tomou pelo menos uma dose e 87,6% tem a imunização completa.

Mediante dos dados, está autorizada a partir de amanhã (1), 100% de ocupação em shows, espetáculos, atividades de entretenimento e modalidades esportivas. O uso de máscaras segue obrigatório e continuam recomendadas medidas de higiene, como uso de álcool, por exemplo. Para entrada e participação nestes eventos, os estabelecimentos e organizadores deverão exigir um comprovante com esquema vacinal completo, ou seja, duas doses da vacina Coronavac, Astrazeneca e Pfizer ou dose única da Janssen. Quem ainda não tiver concluído o esquema vacinal, deverá apresentar um comprovante com a primeira dose e um teste negativo para Covid-19.

O Comitê Científico de São Paulo continua monitorando a pandemia no estado e a pasta estadual ressalta que todas as medidas tomadas levam em consideração critérios técnico-científicos para a proteção da população. Importante ressaltar também que a continuidade da imunização, como a segunda dose da vacina são fundamentais para que as medidas de flexibilização continuem sendo adotadas de maneira segura.”