Policial sofre punição após matar homem negro ajoelhando em seu pescoço

Compartilhe com os amigos:

Um vídeo e algumas imagens vêm repercutindo muito nas redes sociais. Até então, as imagens mostravam um policial de pele branca ajoelhado em cima do pescoço de um homem negro. Logo, os envolvidos foram identificados.

Se tratava do policial Derek Chauvin e do segurança George Floyd, que faleceu enquanto estava no hospital. Floyd havia sido detido após supostamente tentar fazer compras em uma mercearia com uma nota falsa de US$ 20. O funcionário do estabelecimento chamou as autoridades.

O caso aconteceu em Minneaopolis, no Estados Unidos da América, e foi averiguado que o policial responsável pelo assassinato já conhecia a vítima.

Uma proprietária de um bar da região deu um depoimento e declarou que Derek, em dias de folgas como policial, já havia feito a segurança externa de seu estabelecimento, enquanto Floyd fazia a segurança do lado de dentro.

Segundo investigações, Derek manteve seu joelho por 8 minutos e 46 segundos em cima do pescoço de Floyd, sendo que nos últimos 2 minutos e 53 segundos a vítima já se encontrava inconsciente.

Floyd não resistiu ao estrangulamento, provavelmente, por ser portador de doença arterial coronariana e doença cardíaca hipertensiva.

Derek foi indiciado

Após muita pressão popular, o policial foi demitido da corporação, após 19 anos e 18 denúncias envolvendo seu nome, e foi indiciado pelos crimes de homicídio culposo (sem intenção de matar) e assassinato em terceiro grau (quando se age de forma irresponsável ou imprudente).

A família de Floyd, entretanto, ainda pressiona para que policiais que estavam ao redor enquanto acontecia o ato também sejam responsabilizados e que Derek seja indiciado por homicídio doloso (com intenção de matar). A família contratou um próprio legista por não confiar no fornecido pelo estado.