Implorando para voltar pra a Globo, de onde foi chutada, Xuxa sugere que Record censura críticas ao governo

Compartilhe com os amigos:

Xuxa Meneghel mostrou seu descontentamento com a Record e sugeriu que a emissora, apoiadora cega do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), não só proibiu suas manifestações políticas, como fez o mesmo com os seus colegas de trabalho.

O desabafo veio à tona quando a famosa aderiu ao movimento de oposição ao atual governo com a hashtag Somos 70% e o selo antifascista. Depois da manifestação, a apresentador não falou mais sobre o assunto com a mesma força.

Em entrevista à coluna Painel, do jornal Folha de S. Paulo, Xuxa rompeu o silêncio e não escondeu sua vontade de “gritar e berrar” contra as decisões da principal autoridade do país em meio à pandemia do novo coronavírus e da crise política.

“Gostaria muito de dar minha opinião sincera, mas infelizmente nós artistas assinamos um contrato que não podemos falar sobre política”, declarou a contratada da emissora do bispo Edir Macedo.

Ainda de acordo com a reportagem, a artista desabafou em conversa com os amigos mais próximos e lembrou a eles seu repúdio ao machismo, racismo, homofobia, e sua oposição ferrenha aos destruidores do cerrado e da Amazônia para uso da agropecuária.

Confira: