Fim do mimimi: Homem morto espancado no Carrefour tinha 4 passagens pela polícia, inclusive por violência doméstica

Compartilhe com os amigos:

A apresentadora Maju Coutinho fez uma ampla cobertura a respeito da morte de João Alberto Silveira Freitas, 40, que foi vítima de agressões que resultaram em sua morte.

João Alberto, um homem negro, que estava no supermercado Carrefour com sua esposa Milena fazendo compras, foi espancado por seguranças até que ele perdesse a vida.

O crime aconteceu em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, na última quinta-feira (19). Por causa dessa cobertura, Maju Coutinho foi muito elogiada nas redes sociais.

Porém, no início do Jornal Hoje, o tipo de abordagem feita por Maju rendeu elogios e grandes críticas. Acontece que em um pequeno trecho da reportagem a comunicadora fala sobre os antecedentes criminais de João Alberto.

Segundo o que foi dito no Jornal Hoje, o homem em questão tinha antecedentes por porte ilegal de arma, ameaça e também violência doméstica.

Muitos internautas entenderam que o modo noticioso do jornal estava defendendo o Carrefour. O assunto se tornou viral no Twitter. Os internautas ‘castigaram’ Maju por causa da reportagem.

Usuários dessa rede social marcaram Maju Coutinho em algumas postagens e questionaram se por acaso Maju compactuava com tudo isso.

Vale ressaltar que durante a reportagem, em nenhum momento o repórter Jeferson Ageitos fez uso dos antecedentes criminais para tentar justificar o crime cometido contra a vítima. A intenção da reportagem era apenas informativa.

Entendendo o caso

João Alberto estava no supermercado Carrefour com sua esposa, quando se desentendeu com uma funcionária. A funcionária acionou os seguranças. Dois seguranças retiraram João Alberto de dentro da unidade do Carrefour.

No estacionamento os dois seguranças começam a agredir o homem que estava indefeso. João Alberto grita por ajuda. Os seguranças ignoraram os pedidos dele e continuam as agressões.

De acordo com as investigações, João foi espancado por cinco minutos seguidos antes de morrer.

Os seguranças foram presos em flagrante. Um dos seguranças é um policial militar que trabalha como segurança naquela unidade.