Vendedor ambulante morre após ser atingido por botijão lançado de um apartamento no Rio: ‘Uma pessoa do bem’

Compartilhe com os amigos:

Um homem morreu após ser atingido por um botijão de gás alçado do décimo segundo andar de um prédio situado na Rua Aires Saldanha, no Rio, na última segunda-feira (12). Ele estava na calçada, quando foi acertado na cabeça pelo objeto. Apesar do rápido atendimento do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), ele não resistiu e morreu ainda no local. Acionados, policiais do 19º Batalhão da Polícia Militar prenderam o suspeito de ter jogado o botijão.

De acordo com funcionários e moradores da região, a vítima era um vendedor ambulante de meia-idade, e comercializava frutas no quarteirão. De acordo com as investigações iniciais, o homem estaria sentado ao lado de uma banca de jornal, em frente à saída dos fundos do prédio, quando foi atingido.

Preso

Detido em flagrante, Venilson da Silva Souza não tem antecedentes criminais. De acordo com sua irmã, Núbia da Silva Souza, que testemunhou o crime, ele sofre de transtornos mentais, e durante o surto, teria arremessado objetos pela janela. Ele foi encaminhado para a 13ª DP, em Copacabana.

Testemunhas relatam ter ouvido gritos de discussão vindo do edifício, mas a informação não foi confirmada pelo porteiro do prédio.

Querido por todos

Apesar de ter família no Pavão-Pavãozinho, Tronco (apelido do ambulante) morava nas ruas, mais especificamente em frente ao prédio do número 118 da Rua Conselheiro Lafayette.

“Ele já morava aqui há 30 anos. Veio da Paraíba como peão de obras, mas depois de um tempo fico para trás. Não sabia ler e andava sempre mal vestido. Mas era uma pessoa muito do bem, não tinha problemas com ninguém”, disse João Pereira, porteiro do prédio.