Sai o Renda Brasl entra o Renda Cidadã! Substituto do Bolsa Família tem nome e valor definidos. Veja

Compartilhe com os amigos:

O pagamento do Auxílio Emergencial a mais de 60 milhões de brasileiros elevou a aprovação do presidente Jair Bolsonaro e mostrou ao governo federal a importância de impor sua marca a um novo programa social. O Bolsa Família, muito ligado à gestão petista, em especial ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, será substituído.

Depois de Bolsonaro descartar o Renda Brasil, o substituto do Bolsa Família deverá ter outro nome. De acordo com o senador Márcio Bittar (MDB-AC), relator da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) do Pacto Federativo, o programa deverá se chamar Renda Cidadã.

De acordo com o senador, Bolsonaro deu aval para a criação do programa, mas será necessário apontar a fonte de recursos para os pagamentos no relatório da PEC. Bittar afirmou que está autorizado a fechar o relatório e apontar a fonte de recursos para o programa. O acerto foi feito entre o presidente Bolsonaro e todos os líderes da base de apoio ao governo no Senado e na Câmara dos Deputados.

Renda Cidadã deve ser de R$ 300

O Renda Cidadã deve atender 10 milhões de famílias a mais que o Bolsa Família, que hoje atende cerca de 14 milhões de pessoas. Para isso, precisará ser apontado a fonte de recursos. Segundo Bittar, será necessário cortar gastos para ter folga de cerca de R$ 30 bilhões. Essa cifra pode variar de acordo com o valor que será pago a cada família.

O presidente Bolsonaro tem uma preferência: parcelas de R$ 300. Este é o valor das parcelas do Auxílio Emergencial que será pago entre setembro e dezembro. O pagamento médio do Bolsa Família é de cerca de R$ 180. No momento, o governo não vai entrar em detalhes sobre o programa. Somente quando tudo estiver acertado é que deve ser divulgado.