Réveillon e Carnaval em SP só vão acontecer quando houver vacina anti-Covid

Compartilhe com os amigos:

Eventos onde não há controle de quantas pessoas participam, ou seja, com grandes aglomerações, não estão no radar do Centro de Contingência do Coronavírus pelos próximos meses no estado de São Paulo, informou nesta terça-feira (14) o governo João Doria. “Super aglomerações”, como o Réveillon ou Carnaval estão previstas apenas para a fase azul do Plano São Paulo.

“É compreensível a necessidade de planejamento desses megaeventos, mas frente à situação que temos hoje da pandemia e da ameaça de transmissão da população do estado de São Paulo, não é algo que consideramos possível neste momento”, disse Paulo Menezes, coordenador do Centro de Contingência, em coletiva de imprensa realizada no Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo.

João Gabbardo, coordenador executivo do Comitê de Contingência do Coronavírus, complementou a fala de Paulo Menezes dizendo que tais eventos dependerão muito da situação da vacina contra o novo coronavírus e se ela estará disponível ao menos para a população de maior risco.

Com essas declarações, São Paulo agora se junta a outros estados brasileiros que estão cautelosos quanto à realização de grandes eventos em um futuro próximo. Metade das escolas de Samba do Rio de Janeiro, por exemplo, é contra a realização do desfile antes da vacina contra a Covid-19. Já o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), quer propor um adiamento do Carnaval 2021 para maio ou junho.

Em entrevista à BandNews, o prefeito de São Paulo, Bruno Covas, disse que ainda estuda o assunto.

“Eu falei com o prefeito ACM Neto, liguei assim que ele fez essa declaração. A cidade de São paulo também quer discutir conjuntamente o adiamento do Carnaval”, disse Covas.

“Ele [ACM] precisa de 3 a 4 meses para preparar o carnaval, nós precisamos de mais por causa dos desfiles das escolas de samba. As escolas realizam vários ensaios que juntam 2, 3 mil pessoas em seus barracões. Começamos a debater com as escolas de samba, e esperamos poder anunciar um adiamento em conjunto, seja Salvador, Rio de Janeiro, pensar com alguma cidade.”

O Carnaval de São Paulo, em 2020, foi o maior da história da cidade, segundo a Prefeitura. O total de público foi de 15 milhões de pessoas, entre os dias 14 de fevereiro e 1º de março. O evento se tornou, portanto, o maior Carnaval do país este ano.