Relatório mostra que embalagens do MC Donalds tem produto que causa câncer

Compartilhe com os amigos:

Um estudo realizado em parceria pelos grupos de defesa do meio ambiente Ecology Center, The Mind The Store Campaign e Toxic-Free Future, apontou a presença de um produto tóxico e cancerígeno em embalagens de gigantes do fast food como McDonald’s e Burger King, além de redes de restaurantes como Sweetgreen e Cava.

O relatório envolveu o teste de 38 amostras de embalagens de alimentos em seis cadeias de PFAS, compostos amplamente utilizados em produtos domésticos e industriais. Os resultados apontam que quase metade das amostras deram positivas quanto aos níveis de flúor que indicavam que a embalagem continha PFAS.

Recentes estudos ligam os PFAS a danos na saúde como câncer, danos ao fígado, doenças da tireoide e problemas de desenvolvimento. A maioria das pessoas é exposta ao PFAS consumindo alimentos ou bebidas contaminados.

O estudo aponta que as embalagens de batata frita do Burger King, McDonald’s e Wendy’s continham PFAS. Os recipientes de papelão Big Mac também, assim como as embalagens do Whopper, além de todas as tigelas das redes Cava, Freshii e Sweetgreen.

A presença desses elementos tóxicos em embalagens de fast food já foi apontada anteriormente. Em 2017, um estudo publicado pela revista científica Environmental Science & Technology Letters também mostrou que produtos químicos usados na fabricação das embalagens ficam armazenados nas mesmas, e podem causar doenças como diabetes e câncer.

À CNN, as redes Cava, Sweetgreen e Freshii disseram que possuem planos para eliminar o PFAS das embalagens de alimentos nos próximos meses. Em comunicado enviado ao Business Insider, o Burger King diz que pretende estender sua “política de ingredientes seguros para incluir a remoção num curto prazo dos PFAS recentemente identificados”. Já o McDonald’s disse que também está tomando medidas para garantir “a segurança e o bem-estar de seus clientes”.