Militar viaja com drogas no avião reserva de Bolsonaro e presidente toma atitude histórica

Compartilhe com os amigos:

Um militar da Aeronáutica foi preso nesta terça-feira (25), no aeroporto de Sevilla, na Espanha. Há suspeitas de que ele tenha transportado drogas dentro da aeronave das Força Aérea Brasileira (FAB).

O avião em que voava para Sevilla é a aeronave reserva que acompanha as viagens do presidente da República, Jair Bolsonaro, e sua equipe. O militar preso não fazia parte da equipe presidencial.

Bolsonaro comentou sobre o caso. “Hoje pela manhã fui informado pelo Ministro da Defesa da apreensão, em Sevilla, de um militar da aeronáutica portando entorpecentes”, afirmou o presidente nas redes sociais.

Em seguida, Bolsonaro afirmou que determinou ao ministro da Defesa que colaborasse com a polícia da Espanha para a resolução deste caso. Segundo Bolsonaro, o Ministério da Defesa vai colaborar em todas as fases de investigação.

O presidente afirmou ainda que as Forças Armadas brasileiras contam com cerca de 300 mil homens e mulheres que foram formados seguindo padrões e princípios éticos e de moralidade, dando a entender que o desvio do militar é algo anormal dentro das Forças Armadas.

Esta não é a primeira vez que um militar brasileiro é preso. Em 2011, um coronel da reserva perde o posto e a patente por tráfico de cocaína em avião da Força Aérea Brasileira.

Nos próximos dias, Bolsonaro vai ao Japão participar do G20 – grupo dos países que têm as 20 maiores economias do mundo. O Brasil está inserido neste grupo. O presidente da República terá escala em Sevilla, onde pega o avião com destino a Tóquio.