Lula acredita que o PT derrubará o atual governo: ‘temos todas as condições de tirar Bolsonaro em 2022’

Compartilhe com os amigos:

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em entrevista ao site Brasil 247, falou sobre sua visão a respeito da próxima corrida presidencial, que ocorrerá no ano de 2022. O petista usou tom de dureza ao tecer críticas contra Jair Bolsonaro, e disse acreditar que a oposição política tem todas as ferramentas necessárias para a derrubada do atual governo e respectiva ascensão ao Planalto por vias democráticas.

Lula fala sobre candidatura pessoal

O petista está com os direitos políticos cerceados por conta da condenação sofrida no decorrer da operação Lava Jato. Lula não chegou a se referir a um nome específico para a candidatura do Partido dos Trabalhadores ao Planalto em 2022. “O país tem muita gente melhor do que o atual chefe do Executivo”, generalizou.

Ao ser indagado sobre uma candidatura pessoal, o ex-presidente recordou o seu histórico político, memorando as vitórias do passado e dando a entender que, uma vez autorizado a concorrer, certamente o fará.

“Tudo depende da circunstância política. Estarei vivo, forte e com muita energia”, destaca o político. Lula afirma que sua primeira candidatura ao Planalto também foi descreditada, mas resultou na ida ao segundo turno. Com este nexo, crê que a onda “antipetista” que paira sobre o eleitorado há de ser descartada quando a corrida presidencial tiver início, uma vez que “as pessoas são convencidas pelas ideias”.
Na última semana, a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu, por 2 votos a 1, a retirada da delação premiada do ex-ministro da Fazenda, Antonio Palocci, dos autos de um processo no qual Lula é réu. O processo acusa o ex-presidente de receber propina lavada na forma de terreno para o Instituto Lula. Ricardo Lewandowski e Gilmar Mendes, ministros que votaram a favor da retirada, compreenderam que o então juiz Sérgio Moro pudesse ter agido com pretensões políticas, tendo em vista a proximidade das eleições presidenciais de 2022 naquela altura.