Irritado com acusação do Jornal Nacional, Bolsonaro promete medida contra a Globo

Compartilhe com os amigos:

A edição do Jornal Nacional do último sábado (8) ainda rende assunto e Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a falar sobre ela. Em transmissão ao vivo, nesta quinta-feira (13), o presidente da República, inclusive, ameaçou tomar uma atitude contra a Globo.

“Vamos tentar a responsabilização e o esclarecimento da verdade no tocante a essa matéria, que não dá para a gente não se defender disso. Porque uma acusação de genocida para cima de mim no horário nobre”, afirmou o político, sem citar o nome do telejornal ou da emissora.

Porém, cabe lembrar, no JN do último final de semana, quando o Brasil atingiu a marca de 100 mil mortes causadas pela Covid-19, William Bonner e Renata Vasconcelos leram um texto questionando se o presidente havia cumprido a Constituição sobre evitar com que os brasileiros ficassem doentes.

Entre outras coisas, o Jornal Nacional chamou a atenção para o fato de o país não ter um ministro da Saúde titular desde 15 de maio. Além disso, o telejornal afirmou que Bolsonaro minimizou o coronavírus em várias ocasiões.

“Isso é bem claro, de que eu sou o responsável que devia cumprir a Constituição. Será que o presidente está cumprindo a Constituição? Com tudo que nós fizemos. Quase R$700 bilhões de uma forma ou outra para combater o vírus”, destacou o político em sua live semanal.

Bolsonaro ainda afirmou: “A história vai mostrar onde se errou, e se algumas mortes poderiam ser evitadas”. O presidente também voltou a defender a hidroxicloroquina. Ele também criticou o seu ex-ministro Mandetta, a quem chamou de “grande marqueteiro da TV Globo”.