Homem é preso por vender ossos retirados em sepulturas de cemitério no Rio de Janeiro (só podia ser lá)

Compartilhe com os amigos:

No início da semana, policiais da 31ª DP prenderam um homem suspeito de vender ossos retirados de sepulturas no Cemitério Ricardo de Albuquerque, situado na Zona Oeste do Rio de Janeiro. O homem identificado como Luiz Silas dos Santos Brandão comercializava os ossos para a realização de rituais religiosos.

A detenção do suspeito foi realizada na última segunda-feira (26), quando ele estava sob posse de um crânio e dois ossos que seriam entregues a um possível comprador. A informação foi confirmada pelo delegado Fabio Souza. O homem foi autuado em flagrante por vilipêndio de cadáveres.

Luiz Silas comercializava cada crânio por R$ 300 e os demais ossos no valor de R$ 100. Segundo informações da polícia, a venda das ossadas acontecia durante o período noturno. Efetuando um monitoramento nos últimos dias, policiais identificaram uma negociação, e posteriormente fizeram a detenção em flagrante do criminoso.

Não era funcionário

Em depoimento à polícia, Luiz Silva revelou que não trabalhava como funcionário do cemitério, mas costumava fazer a limpeza do lado externo do local. O homem disse que recebia dinheiro de pessoas que faziam rituais religiosos do lado de fora do cemitério.

Ainda segundo o suspeito, ele foi procurado por um homem, que perguntou se ele queria ajudá-lo com a venda de ossos retirados de covas. Luiz afirmou que o autor da oferta não é funcionário do local, mas que presta serviços ao cemitério.

O caso segue sob investigação dos policiais da 31ª DP, para a identificação de mais envolvidos no crime de venda e compra de ossadas.