Hamilton Mourão rompe o silêncio e declara sua avaliação pessoal sobre o discurso de Jair Bolsonaro na ONU

Compartilhe com os amigos:

O vice-presidente da República, general Hamilton Mourão, aprovou o discurso feito por Jair Bolsonaro na Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU). As falas do presidente despertaram reações de diferentes grupos da sociedade brasileira, que apontaram certas incongruências nos dados apresentados. Ao contrário, Mourão concordou com o que foi dito, destacando que é preciso “contrapor a desinformação” quanto ao meio ambiente, e avaliando os posicionamentos como condizentes ao que pensa o governo federal como um todo.

Ao longo de seu discurso, Jair Bolsonaro afirmou que o Brasil está sendo alvo de uma campanha difamatória a nível internacional, usando para isso os fortes incêndios que atingem a Floresta Amazônica e o Pantanal.

“Que existe uma campanha de desinformação, existe. Isso aí eu já comentei, e compete a nós contrapormos. Agora, eu sempre deixo claro que a contraposição tem que se dar por duas vertentes: uma vertente de uma informação qualificada e a segunda vertente é de impedir que ilegalidades ocorram para não dar margem a esse tipo de pressão”, declarou Mourão.

Ainda na análise do vice-presidente da República, o discurso de Jair Bolsonaro é condizente com o que foi dito por todas as grandes lideranças internacionais. Ele citou a gestão da pandemia provocada pelo coronavírus, além das relações internacionais com as nações amigas.

Ao ser questionado sobre um dos pontos mais polêmicos do discurso de Jair Bolsonaro, quando o presidente culpa os índios e caboclos pelos incêndios florestais que atingem o país, Hamilton Mourão buscou se afastar, evitando avaliar estes trechos. “Aí é questão do presidente, que tem os dados dele ali, então, não comento isso aí”, disse.