Coronavac, a vacina da Covid: testes, eficácia e previsão para imunização da população

Compartilhe com os amigos:

O governador de São Paulo, João Dória, deu a melhor notícia que os brasileiros poderiam ouvir nos últimos tempos e reascendeu a esperança da nação. O comunicado com a boa notícia foi realizada nesta manhã desta quinta-feira, 11 de junho. Foi feita uma parceria entre o Instituto Butantan e um laboratório chinês para a produção da vacina contra o coronavírus.

Segundo o governador, a vacina já estaria na fase 3 de testes, ou seja, o último estágio para entrar em produção para imunização da população. O anúncio foi feito ao lado do presidente do Instituto Dimas Covas, em uma publicação na rede social.

Durante a entrevista coletiva, João Doria falou sobre a importância da parceria e que esse é um dia histórico para São Paulo e o Brasil. Atualmente, o mundo tem mais de 100 vacinas em desenvolvimento, porém somente 10 conseguiram chegar na fase de testes. Já existe até uma data para disponibilização de uma das vacinas mais esperadas do momento. Segundo o governador, ela provavelmente estará à disposição no primeiro semestre do próximo ano e poderá imunizar milhões de brasileiros.

Vai ser realizado testes clínicos da vacina no Brasil com 9 mil voluntários a partir do mês de julho. Assim que a eficácia do produto for comprovada, o Instituto Butantan, vai ter o domínio da tecnologia para fornecimento da droga para o SUS até junho de 2021. Inclusive, a vacina já tem nome e vai ser chamada de coronavac.

O presidente Instituto Dimas Covas disse que a vacina passou pelas duas fases iniciais com sucesso. O produto é feito com o vírus inativado, sendo uma das mais avançadas, contendo fragmentos do vírus e possui uma tecnologia que o Butantan domina.