Confeiteira humilhada por apenas R$2 vê um milagre mudar sua vida

Compartilhe com os amigos:

Após a repercussão do caso de uma confeiteira que foi humilhada por doar um bolo pequeno para uma mulher que lhe pediu ajuda com o aniversário da filha, agora aconteceu mais um caso semelhante.

A confeiteira Ângela Oliveira atendeu um pedido de bolo no pote pelo WhatsApp, e cobrou a taxa de R$2 para que um motoboy levasse os produtos para a cliente, mas essa mesma cliente a humilhou, alegando que ela nunca conseguiria nada na vida, pois taxa de entrega só deve ser cobrado de negócios já consolidados.

Também chamou Ângela de louca e a menosprezou, dizendo que isso acontecia por qualquer pessoa ter um negócio, a inferiorizando.

Ângela ficou muito triste com as palavras da cliente e desabafou no Facebook, pedindo que as pessoas tenham mais empatia com os outros. Ângela fugiu do ex-marido seis meses, pois viveu por anos em um relacionamento abusivo e depois começou a receber ameaças de morte por parte dele.

Após se mudar para o interior de São Paulo com seus dois filhos, conseguiu uma medida protetiva para manter o ex longe dela e das crianças. Ângela trabalhava como recepcionista, mas ao perder o emprego no começo da pandemia, pediu R$100 emprestado para a mãe e comprou ingredientes para começar a fazer bolos para vender. Por ter sido mandada embora há pouco tempo, não conseguiu o Auxílio Emergencial do governo, uma vez que o programa social exige que o beneficiário esteja sem trabalho formal há no mínimo três meses. O prazo para solicitação do auxílio terminou no começo de julho.

Ela precisa pagar R$650 de aluguel, além de comprar comida e pagar contas. Segundo seu desabafado, chega a passar o dia inteiro sem comer nada para que não atrase nenhum pedido dos clientes. Ângela faz bolo dia e noite para não atrasar suas contas e confessou que chorou com a humilhação que sofreu, afinal, ouvir tais palavras quando se está começando um negócio em meio ao desemprego e ao desespero, não é nada motivacional.

O que quem a humilhou nem imaginou é que graças a essa humilhação por apenas dois reais, Ângela cativou dezenas de pessoas que tiveram empatia com sua situação e decidiram ajudá-la. O Razões Para Acreditar criou uma vaquinha virtual para dar a Ângela a oportunidade de montar seu próprio negócio e, para a surpresa da confeiteira, até o momento, mais de mil pessoas fizeram uma doação a campanha.

Ângela já ganhou mais de R$47 mil e a meta da vaquinha era de R$25 mil. A confeiteira aprendeu a fazer doces e bolos assistindo vídeos do Youtube. Todo o valor arrecadado na vaquinha será repassado para Ângela ao término do período para doações e ela não precisará passar mais por humilhações, pois irá consolidar seu negócio, além de oferecer melhor qualidade de vida para seus filhos.