‘Com a boquinha roxa e as mãozinhas geladas’: o depoimento escabroso da mãe do menino Rafael

Compartilhe com os amigos:

No final desta sexta-feira, 26 de junho, a Record TV divulgou em primeira mão trechos do primeiro depoimento de Alexandra Dougokenski à polícia. Ela está presa, após confessar matar o próprio filho, o menino Rafael, de 11 anos de idade. O caso teve repercussão nacional e ocorreu na pequena cidade de Planalto, no estado do Rio Grande do Sul.

O depoimento de Alexandra Dougokenski havia sido dado no dia 25 de maio, mas só agora, um mês depois, ele pôde ser liberado à mídia. O objetivo era não atrapalhar as investigações do crime. A mãe de Rafael diz no depoimento que acredita que exagerou na dose de um remédio para ansiedade do filho. Ao perceber que ele não reagia, ela entendeu que a criança estava morta.

Desesperada e com medo de ser presa, Alexandra Dougokenski tentou esconder o corpo da criança em uma casa vizinha, que estava vazia pois os donos estão viajando. Para isso, ela arrastou o cadáver de Rafael com uma corda amarrada no pescoço. Segundo a perícia, o menino morreu por asfixia, o que sugere que não foram os remédios excessivos que mataram a criança.

“Ele estava diferente, com a boquinha roxa e as maozinhas geladas. Não lembro a hora certa, era madrugada”, disse Alexandra Dougokenski ao falar sobre o assunto no seu primeiro depoimento.

“Eu não conseguia tirar ele.. Eu amarrei ele para conseguir melhor com uma cordinha. Dei a volta. Sim, garagem da casa. Uma caixa. Coloquei ele deitadinho lá”, disse a mãe de Rafael narrando verdadeiros momentos escabrosos com a criança. Ela também fala sobre o irmão de Rafael, Anderson, e diz que escondeu o corpo da criança para o irmão não achá-lo.