Brasil poderá produzir vacina da Rússia contra o coronavírus; Ratinho está confiante

Compartilhe com os amigos:

O Paraná está em negociação para produzir a vacina da Rússia contra o coronavírus, além de outros medicamentos que estão em estudo.

Os russos garantem que conseguiram bons resultados nos testes preliminares e afirmam que os testes apontaram que o medicamento é seguro e capaz de gerar uma reação imune ao vírus no organismo.

Segey Akopov, que é embaixador da Rússia no Brasil, deve se reunir com Ratinho Júnior, governador do Paraná, no início de agosto para conversarem e se tudo der certo, selar a parceria para que a vacina comece a ser produzia em nosso país, só que por enquanto não há uma previsão de quando os estudos serão finalizados.

Nesta última sexta-feira (24), foi entregue o protocolo de intenções, sendo que neste dia o secretário-chefe da Casa Civil do Paraná se encontrou com Akopov e disse que a conversa foi positiva e que os russos estão em busca de parcerias.

O estado do Paraná se colocou à disposição do Tecpar – Instituto de Tecnologia do Paraná, que já tem uma parceria com o Ministério da Saúde.

Guto Silva explicou que se a vacina da Rússia contra o coronavírus for aprovada, então o Instituto funcionará como um polo de produção e também distribuição do medicamento não só para o Brasil, mas para toda a América Latina.

Especialistas alertam para o fato de que não é possível saber quando uma vacina contra a Covid-19 estará disponível para a população, mesmo com algumas se encontrando em estágio avançado de teses.

A OMS – Organização Mundial da Saúde, não acredita que a população mundial tenha acesso amplo à vacina antes do primeiro semestre de 2021.