Bolsonaro dispara contra vacina chinesa e manda recado: ‘O povo brasileiro não será cobaia’

Compartilhe com os amigos:

Depois de anunciar que o governo não comprará a vacina desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac contra a Covid-19, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou às redes sociais para falar sobre o assunto. Além de desautorizar o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, o chefe do Executivo, fez duras críticas contra o imunizante, classificando-o como “a vacina chinesa de João Doria”.

No texto publicado nas redes sociais nesta manhã, Bolsonaro foi enfático ao afirmar que “o povo brasileiro não será cobaia de ninguém”. O presidente ainda afirmou que um aporte milionário para um imunizante que está somente em fase de testes é inviável.

“Para o meu governo, qualquer vacina, antes de ser disponibilizada à população, deverá ser comprovada cientificamente pelo Ministério da Saúde e certificada pela Anvisa [Agência Nacional de Vigilância Sanitária]”, disse o presidente, deixando claro que a sua decisão é de não adquirir o imunizante chinês.

Descontentamento

De acordo com a jornalista Andréia Sadi, a postura do ministro Eduardo Pazuello, em anunciar o acordo com SP e o laboratório chinês pela vacina contra a Covid-19 desagradou Bolsonaro, que manifestou a sua insatisfação em mensagem enviada aos ministros. O presidente ainda teria desautorizado Pazuello a decidir sobre a compra dos imunizantes.

Na última terça-feira (20), Pazuello oficializou um acordo para compra de 46 milhões de doses da Coronavac. A reunião para selar o acordo teve a presença de João Doria, inimigo ferrenho de Bolsonaro de outros governadore