Bispos católicos acusam Bolsonaro de usar o nome de Deus para ‘difundir mensagens de ódio’

Compartilhe com os amigos:

Um grupo composto por 152 bispos e arcebispos católicos assinou um documento que acabou vazando neste último final de semana. O conteúdo deixa claro que os líderes da igreja católica estão insatisfeitos com o presidente Jair Bolsonaro.

De acordo com o portal IG, a CNBB – Conferência Nacional de Bispos do Brasil, teria analisado a carta repleta de críticas ao atual governo, inclusive os religiosos fizeram questão de ressaltar que existe uma ‘omissão, apatia e rechaço’ pelas pessoas mais pobres, além de ‘incapacidade’ para enfrentar essa crise gerada pela pandemia do coronavírus.

Um trecho da carta, onde é abordada a questão da educação no Brasil, diz que está clara a ‘demonstração de raiva pela educação pública’, chamando a atenção para os fatos de que são sucessivos os erros para escolher um ministro que atenda os anseios dos brasileiros.

Essa carta estava prevista para ser divulgada na quarta-feira da semana passada, mas após uma análise do Conselho permanente da CNBB, ficou decidido que seria suspenso.

‘Carta do Povo de Deus’ é como o texto vem sendo chamado e nele diz que Jair Bolsonaro usa o nome de Deus para ‘difundir mensagens de ódio e preconceito’. Um trecho diz que é impossível não ficar indignado com que a Santa Palavra se mistura a ‘falas e posturas preconceituosas’, servindo para incitar o ódio ao invés de despertar o amor nas pessoas.

No final da carta é feito um apelo à igreja e também a todo Brasil, para que possa haver união agora e que junto o povo possa encontrar alternativas para o país.